Jornal de Bairros – Zona Sul e Grande Tijuca

GASTRONOMIA – VALE QUANTO PESA

Ele é uma invenção brasileira, mais precisamente mineira, dizem – embora há quem diga que foi em São Paulo que eles apareceram. Surgido nos anos 80, o restaurante “por quilo”, “a quilo” ou “a peso” mudou os hábitos alimentares da população, já que, pelo mesmo valor e no mesmo intervalo de tempo gasto num “fastfood”, permite que se coma saladas, vegetais e uma grande variedade de pratos nacionais e internacionais.

Uma pesquisa do SEBRAE mostra que 70% dos restaurantes brasileiros são do tipo “self service”, que basicamente se dividem em restaurantes do tipo bufê, onde se paga um preço fixo para ter livre acesso aos pratos, sem restrição de quantidade, e os do tipo “a quilo”, em que se paga pelo peso da comida colocada no prato.

Esse tipo de restaurante oferece flexibilidade e liberdade, permitindo que, na hora de montar o prato, o cliente leve em consideração eventuais dietas, restrições alimentares e preferências gastronômicas.

 O peso padrão é de cerca de 350 gramas, e as pesquisas mostram que quem consome regularmente refeições com peso muito superior a esse tem risco aumentado para obesidade. Por ser selecionada pelo próprio comensal, a refeição costuma ser consumida integralmente, já que o fato de pagar por peso embute a responsabilidade de não desperdiçar.

Estudos realizados no mundo inteiro mostram que comer fora de casa na maioria das vezes é sinônimo de ingerir mais alimentos, bem como de ingerir alimentos mais calóricos, mais gordurosos, mais ricos em açúcar e sódio e de ingerir menos frutas, vegetais e alimentos nutritivos de um modo geral. O restaurante “a quilo” oferece a chance de permanecer saudável e, de quebra, é amigo do seu bolso e ainda faz seu horário de almoço render.

Nádia Lamashttp://vieirasetrufas.blogspot.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *