Procedimento ganha espaço entre os cuidados para pets que sofrem da condição, tornando-os mais ativos e estreitando a relação com os tutores

A ozonioterapia, técnica com propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e analgésicas, está ganhando espaço também na medicina veterinária. Indicada no tratamento de diversas condições, incluindo as dores crônicas, ela envolve a administração intravenosa de uma mistura de ozônio e oxigênio; nos pets, pode proporcionar alívio dos sintomas e melhorar significativamente a qualidade de vida, permitindo que se tornem mais ativos e participem de atividades antes limitadas.

“A dor crônica pode ser causada por uma variedade de condições, como artrite, displasia e doenças articulares degenerativas. Essas condições muitas vezes resultam em desconforto constante e limitações na mobilidade, afetando diretamente o bem-estar dos animais. A ozonioterapia oferece uma solução promissora, pois atua no alívio da dor, redução da inflamação e melhoria da circulação sanguínea nos tecidos afetados”, comenta Rodrigo Moretti, médico veterinário e consultor clínico científico da HTM VET.

O ozônio, quando administrado de forma adequada e controlada, tem o potencial de estimular a liberação de substâncias naturais no corpo, como as endorfinas, conhecidas por seu efeito analgésico. Além disso, ajuda a modular a resposta inflamatória do organismo, reduzindo a produção de mediadores inflamatórios e promovendo a cicatrização de tecidos lesionados.

Um dos benefícios mais significativos da ozonioterapia é a capacidade de aliviar os sintomas sem os efeitos colaterais associados a medicamentos tradicionais, como anti-inflamatórios não esteroidais. Isso é especialmente importante em animais idosos ou com condições médicas pré-existentes, que podem ser mais sensíveis aos efeitos adversos.

Vários dispositivos eletrônicos foram desenvolvidos para a aplicação do tratamento. “O Állos VET, por exemplo, é um gerador de ozônio versátil projetado para diminuir a inflamação, fornecer alívio imediato da dor, promover a bioestimulação, combater micro-organismos e facilitar a cicatrização de feridas. Com recursos inteligentes, oferece maior segurança e autonomia durante o atendimento clínico”, destaca Rodrigo.

No entanto, vale enfatizar que a ozonioterapia requer a intervenção de profissionais capacitados e experientes, que tenham conhecimento das técnicas de aplicação, garantindo a segurança e eficácia do procedimento.

Antes de iniciar qualquer modalidade terapêutica, é aconselhável buscar orientação de um médico veterinário para avaliar o estado do animal e definir o tratamento mais apropriado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.