Arma é usada em zonas de guerra e tem alcance de 3 mil metros e 200 tiros por minuto. Ação visa prender criminosos que fugiram do Complexo da Maré e já resultou em dois suspeitos mortos. Metralhadora .30 apreendida no Morro do São Carlos
Divulgação
Agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) apreenderam nesta terça-feira (3) uma metralhadora ponto 30 – arma usada em zonas de guerra, com alcance de 3 mil metros e 200 tiros por minuto -, foi apreendida durante operação no Complexo de São Carlos e no Morro da Coroa, na região Central do Rio.
A ação tem como objetivo prender criminosos que teriam fugido do Complexo da Maré, na Zona Norte da cidade, como levantou o serviço de inteligência das polícias Civil e Militar.
Além da ponto 30, policiais também recolheram duas pistolas, rádio comunicadores, drogas, carregadores e munições.
Imagens da ponto 30 apreendida nesta terça (3)
Divulgação
Polícia faz operação no Complexo de São Carlos para prender criminosos que fugiram da Maré
Dois suspeitos morreram na ação. Segundo a polícia, eles estavam com pistolas e rádio transmissor. Ambos chegaram a ser socorridos para o Hospital Souza Aguiar, mas não resistiram aos ferimentos.
Investigação
Os agentes descobriram que bandidos começaram a se movimentar na noite desta segunda-feira (2), saindo da Vila do João em direção ao São Carlos e a Mineira, no Catumbi.
No mês passado, o Fantástico exibiu, com exclusividade, o treinamento tático que bandidos que dominam a favela recebiam no interior do conjunto de favelas.
Nesta segunda-feira (2), o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, assinou uma portaria que autoriza a vinda de 300 agentes federais para a capital fluminense.
Os agentes da Força Nacional serão responsáveis por vigiar as entradas do Complexo da Maré e as Polícias Militar e Civil farão operações diárias na comunidade na tentativa de cumprir dezenas de mandados de prisão em aberto.
O treinamento
A Polícia Civil mapeou quem são os criminosos que controlam a área onde foi criado um centro de treinamento do crime no Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio de Janeiro.
No domingo (24), o Fantástico exibiu o resultado de uma investigação que durou dois anos sobre o “curso prático de táticas de guerrilha”.
Várias facções estão no Complexo da Maré, que tem mais de 140 mil moradores. De acordo com o mapeamento dos policiais, o Terceiro Comando Puro (TCP) domina a maior parte da região, inclusive o centro de treinamento.
O TCP controla a Vila do João, a Vila dos Pinheiros, Salsa e Merengue, Baixa do Sapateiro e Timbau.
As comunidades da Nova Holanda e Parque União, ainda no Complexo da Maré, estão sob o jugo do Comando Vermelho, outra facção de traficantes.
A Maré ainda tem uma parte tomada por milicianos: Roquete Pinto e Piscinão de Ramos
Ao longo da investigação que durou dois anos, os agentes identificaram pelo menos 400 bandidos da facção da região da área usada como centro de treinamento. A Polícia Civil monitorou, no total, 1.125 traficantes, milicianos e pessoas ligadas às atividades criminosas na Maré. Eles foram indiciados por tráfico de drogas, associação para o tráfico e organização criminosa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.