A mudança de foro foi causada pelas suspeitas do envolvimento de Domingos Brazão, um dos conselheiros do TCE-RJ, no crime. Brazão sempre negou participação no assassinato de Marielle. Domingos Brazão, conselheiro do TCE-RJ
Reprodução/Globo
O inquérito que investiga o assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes foi enviado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). A notícia foi divulgada pelo Jornal “O Globo”.
A mudança de foro foi causada por novas suspeitas do envolvimento de Domingos Brazão, um dos conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), no crime.
Brazão já tinha sido alvo de uma denúncia por tentativa de atrapalhar as investigações, que foi rejeitada pela Justiça do RJ.
Segundo o Jornal O Globo, o nome de Brazão foi citado na delação premiada do ex-PM Élcio Queiroz, preso suspeito de envolvimento no assassinato, em 2018. Por causa do cargo de Brazão no TCE-RJ, foi pedida a mudança de foro.
Brazão sempre negou participação no assassinato de Marielle. O RJ1 tentou contato com a defesa do conselheiro, mas ainda não obteve retorno.
“Pacto de silêncio” é rompido após surgirem novas provas sobre o Caso Marielle

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.