O reforço havia sido solicitado pelo governador do Rio, Cláudio Castro (PL), na última sexta-feira (29), após o Fantástico mostrar imagens de homens armados no Complexo da Maré. Homens da Força de Segurança Nacional durante operação policial na Vila do João, no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, em agosto de 2016.
Felipe Dana/ AP
Trezentos homens da Força Nacional com 50 viaturas atuarão no Rio em apoio às equipes policiais do Estado por tempo indeterminado. O estado enfrenta sucessivos quadros de crise na segurança pública nos últimos anos – no último fim de semana, houve toque de recolher e confronto em Anchieta, na Zona Norte da capital, por exemplo.
Nesta segunda-feira (2), o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, assinou uma portaria que autoriza a vinda dos agentes federais para a capital fluminense.
Os agentes da Força Nacional serão responsáveis por vigiar as entradas do Complexo da Maré e as Polícias Militar e Civil farão operações diárias na comunidade na tentativa de cumprir dezenas de mandados de prisão em aberto.
Além disso, auxiliarão na instalação de câmeras de reconhecimento facial nas ruas da Maré. O complexo de favelas não será ocupado.
Além da Maré, o Governo do Estado fará ações em outras comunidades e áreas do estado com a ajuda da Força Nacional.
No âmbito da atuação da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no estado, Dino apontou a atuação de 270 policiais e 22 blindados, além de um veículo de resgate e um helicóptero.
Já na Polícia Federal (PF), o ministro destacou a atuação da Força Integrada de Combate ao Crime Organizado (FICCO) e do Centro de Cooperação Policial Internacional (CCPI) e de ações de inteligência e investigação em curso.
Na sexta-feira (29) foram discutidas medidas para o enfrentamento à violência no Estado em uma reunião entre o governo do Rio de Janeiro com o Ministério da Justiça.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.