Wenia Morais Silva é alvo de mandados de prisão expedidos pelo STF por atos cometidos em dezembro, em Brasília. Ônibus incendiado em Brasília na noite desta segunda-feira (12).
Ueslei Marcelino/Reuters
A paraibana Wenia Morais Silva se entregou à polícia paraguaia nesta sexta-feira (29) na capital Assunção. Ela é investigada por atos de vandalismo cometidos em Brasília em dezembro e era considerada foragida.
A polícia paraguaia informou que Wenia se apresentou na embaixada brasileira em Assunção e que as autoridades acionaram a polícia.
De acordo com as autoridades paraguaias ela deve ser trazida ao Brasil, por Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, ainda nesta sexta.
✅ Siga o canal do g1 PR no WhatsApp
Wenia é ex-assessora do deputado estadual fluminense Renato Zaca (PL) e foi alvo de um mandado de prisão temporária expedido pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), no dia 29 de dezembro.
A ordem judicial foi expedida no âmbito da Operação Nero, deflagrada contra suspeitos de participarem de uma tentativa de invasão à sede da Polícia Federal e atos de vandalismo em Brasília no dia 12 de dezembro.
O g1 apurou que, naquele dia, Wenia se escondeu em um acampamento golpista em uma praça do Rio de Janeiro.
Dias depois, Moraes decretou a prisão preventiva da paraibana. Ela estava foragida até se entregar nesta sexta-feira.
LEIA TAMBÉM:
Mulher prensada por carro em calçada estava indo comprar calça para crisma da filha, diz tia da vítima
Operação interdita três lojas de empresa de negociação de dívidas em Curitiba e Foz do Iguaçu
Corpo de jovem desaparecida há oito dias é encontrado baleado em cova rasa em estrada rural de Ponta Grossa, diz delegado
Os VÍDEOS mais assistidos do g1 PR
Leia mais notícias do estado em g1 Paraná.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.