Jornal da Zona Sul e Zona Norte do Rio de Janeiro

Defesa de paciente que acusa hospital de cárcere privado pede que dinheiro bloqueado pague psiquiatra à vítima


Daiana Chaves Cavalcanti, de 36 anos, realizou uma abdominoplastia na clínica Santa Branca no início de março. O hospital teria impedido que ela fosse transferida e dificultou a entrada de policiais na unidade. Daiana Cavalcanti
Fantástico
Os advogados de defesa de Daiana Chaves Cavalcanti, de 36 anos, a paciente que acusa o médico Bolívar Guerrero Silva e o Hospital Santa Branca de cárcere privado, pediram na Justiça que o dinheiro bloqueado da clínica seja utilizado para a contratação de um psiquiatra para atendê-la.
Quem é Bolívar Guerrero Silva, médico preso por manter paciente em cárcere privado
Oficializado nesta sexta-feira (5), na 5ª Vara Cível da Capital, o pedido feito pela defesa também sugere a contratação de um acompanhante para auxiliar Daiana enquanto ele estiver internada.
Segundo o advogado Ornélio Mota Rocha, a equipe médica que atende Daiana no Hospital Federal de Bonsucesso (HFB) acha importante que ela tenha suporte psicológico e psiquiátrico durante sua recuperação. O hospital, porém, não dispõe de psiquiatra, apenas de psicólogo.
No final de julho, a Justiça do Rio decretou o bloqueio de R$ 198.210,00 do Hospital Santa Branca e do cirurgião Bolívar Guerreiro Silva.
Quem é Bolívar Guerrero Silva, o médico preso por cárcere privado
O recurso seria para arcar com os custos da transferência e do tratamento de Daiana Cavalcanti, que denunciou o médico por cárcere privado e tenta se recuperar de uma cirurgia malsucedida no abdômen e nas mamas.
Ainda de acordo com o advogado, do total bloqueado pela Justiça, menos de R$ 30 mil foram localizados no rastreamento feito pelos peritos.
O médico equatoriano, que está preso, nega as acusações de erro médico e que tenha mantido Daiana em cárcere privado.
Evolução clínica
O advogado Ornélio Mota Rocha também falou sobre a recuperação de Daiana. Segundo ele, dois vácuos – aparelho usado para drenar secreções – foram retirados de um dos seios e do abdômen.
O procedimento facilita a cicatrização e futuras intervenções estéticas para corrigir os danos causados.
Daiana ainda tem outros dois vácuos instalados, mas os médicos estão confiantes que em breve eles também poderão ser retirados.
Relembro o caso
Bolívar Guerrero Silva foi preso no dia 18 de julho quando estava dentro do centro cirúrgico do Hospital Santa Branca, em Duque de Caxias. Segundo a polícia, ele mantinha Daiana em cárcere privado depois que ela teve complicações depois de uma cirurgia de abdominoplastia e está em estado grave.
A paciente vinha tentando ser transferida de hospital, mas o cirurgião teria dificultado a transferência, mesmo com duas liminares da Justiça.
Paciente de médico preso grava vídeo no hospital e faz apelo por transferência
Bolívar responde a pelo menos 19 processos na Justiça por erros médicos e teve sua prisão temporária mantida pela Justiça após audiência de custódia.
Após a divulgação do caso de Daiana, pelo menos 20 mulheres já compareceram à Delegacia da Mulher de Duque de Caxias para denunciar o médico. Em um dos casos, familiares de um jovem foram ao local denunciar que suspeitam que a familiar tenha morrido por erro médico após um procedimento, mas teve a morte atestada como complicações por Covid.
Em outro, um paciente, que teve uma parada cardíaca durante a cirurgia plástica, está em estado vegetativo há sete anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *