Jornal da Zona Sul e Zona Norte do Rio de Janeiro

Alessandro Molon mantém a candidatura ao Senado


Mais cedo, o PT decidiu manter o apoio à candidatura de Marcelo Freixo (PSB) ao Governo do RJ. A coligação entre o partido de Molon e o PT também confirmou que o candidato do grupo ao Senado será André Ceciliano. Molon resiste à pressão e mantém candidatura ao senado do RJ
O deputado federal Alessandro Molon (PSB) anunciou nesta sexta-feira (5) que vai manter sua candidatura ao Senado Federal mesmo sem o apoio do próprio partido.
“A nossa disputa é contra o Romário”, disse Molon, durante coletiva em que confirmou sua candidatura ao Senado.
Mais cedo, o Partido dos Trabalhadores (PT) decidiu que vai apoiar a candidatura de Marcelo Freixo (PSB) ao Governo do Rio de Janeiro nas eleições de outubro.
Com a medida, a coligação PSB e PT definiu que o candidato do grupo ao Senado Federal, no Rio de Janeiro, será o petista André Ceciliano, deputado estadual e presidente da Alerj.
A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, confirmou a decisão em uma postagem em suas redes sociais.
“A Comissão Executiva Nacional do PT confirma o apoio à chapa Marcelo Freixo (PSB) para governador e André Ceciliano (PT) para senador no Rio de Janeiro. Com Lula e Alckmin vamos juntos reconstruir nosso Brasil”, escreveu a ex-senadora.
Alessandro Molon mantém a candidatura ao Senado
Reprodução
A confirmação de Molon como candidatura ao Senado indica um racha no Partido Socialista Brasileiro (PSB), visto que o diretório estadual do partido aprovou o nome do deputado federal. A indicação de Molon teria contrariado um suposto acordo nacional entre as legendas, segundo lideranças petistas.
Em reuniões com a executiva nacional do partido, Molon ouviu de alguns colegas que sua campanha não teria verbas do Fundo Partidário, caso ele permanecesse irredutível em sua decisão.
Contudo, durante uma coletiva de imprensa nesta sexta-feira, Molon disse que nunca participou de nenhum acordo para que o PSB não tivesse candidato próprio ao Senado.
“Sobre um suposto acordo com o PT para que fosse cedido a vaga ao PT para o Senado, eu quero deixar claro que nunca houve um acordo do PSB com o PT para que essa vaga fosse cedida. Eu nunca participei de acordo para que essa vaga fosse cedida para o PT”, disse Alessandro Molon, que é presidente estadual do PSB no Rio de Janeiro.
“É fundamental derrotar Bolsonaro. O Brasil vive um momento dramático”, afirmou Molon.
O anuncio para a confirmação da candidatura de Alessandro Molon ao Senado contou com o apoio dos partidos Rede, Psol e Cidadania.
Entenda a polêmica
Com os dois partidos coligados na disputa nacional, PT e PSB planejavam ter apenas um candidato ao senado nos estados. Contudo, no Rio de Janeiro, o PSB lançou o nome do deputado federal Alessandro Molon para o cargo, enquanto o PT apostou em André Ceciliano para o mesmo posto.
Vale lembrar, que a legislação eleitoral não impede que uma coligação tenha dois candidatos ao Senado Federal nas eleições. Contudo, um acordo entre as legendas definiu que o PT indicaria o candidato ao Senado e o PSB escolheria o candidato ao governo do estado.
Com o impasse, na última terça-feira (2 ), o diretório estadual do PT no Rio de Janeiro chegou a aprovar uma resolução para retirar o apoio à candidatura de Marcelo Freixo (PSB) ao governo estadual.
Na última quinta (4), o PT cobrou que o PSB retirasse a candidatura de Alessandro Molon para que o partido pudesse confirmar o apoio à Marcelo Freixo ao governo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *