Jornal da Zona Sul e Zona Norte do Rio de Janeiro

Lazer – Série Parque Nacional da Tijuca – PEDRAS PRECIOSAS

Três picos, dois cartões postais e uma paixão.

Área nobre e visuais privilegiados, mas um tipo de lazer para poucos. Localizado entre os bairros de São Conrado, Barra da Tijuca e Alto da Boa Vista, o Setor Pedra Bonita e Gávea é o menor do Parque Nacional da Tijuca, porém é o local com mais opções de esporte de aventura e com as mais belas vistas do Rio de Janeiro. São diversas vias de escaladas com diferentes graus de dificuldade, trilhas e voo livre de asa delta e parapente, em uma das rampas mais famosas e movimentadas do mundo, que fica na Pedra Bonita. Este setor também abriga a imponente Pedra da Gávea, com seus mais de 800 metros de altitude, suas lendas e mistérios.

PEDRA BONITA

Do topo da pedra, atingida após uma caminhada de cerca de 20 minutos, se tem uma espetacular vista de São Conrado e partes da Zona Sul, assim como da Barra da Tijuca. É na Pedra Bonita também que se encontra uma das rampas de voo livre mais famosas e movimentadas do mundo. A área é administrada em parceria com a Associação Brasileira de Voo Livre e é possível fazer voos de instrução de asa delta e parapente no local.

REGRAS DE VISITAÇÃO: Você talvez não saiba, mas a Pedra Bonita faz parte do Parque Nacional da Tijuca e existem regras previstas no plano de manejo do Parque que devem ser respeitadas por todos que visitam o local.

Por causa dos riscos de acidentes e da necessidade de proteção ambiental do patrimônio, não é permitido o pernoite. O cume da Pedra Bonita abriga diversas espécies de plantas ameaçadas e os acampamentos no local podem causar sua extinção. Todos os visitantes devem terminar a trilha até às 17 horas. Isso significa que você deve passar pela portaria do Parque até 17h, que é também quando o local é fechado.

Também é proibida a entrada com animais domésticos, pois a presença desses animais pode causar danos à biodiversidade. A transmissão de doenças, a caça e o afugentamento de espécies nativas são alguns dos danos que eles podem provocar. Ajude a conservar esse patrimônio ambiental tão importante, para todos nós, seguindo as regras previstas.

O estacionamento para visitantes que vão fazer a trilha é liberado, com limite máximo de 24 veículos.

PEDRA DA GÁVEA

Considerado um dos cartões postais do Rio, a Pedra da Gávea é o maior monolito à beira mar do mundo. Com mais de 800 metros de altitude, por sua localização e características, sempre foi uma referência para navegadores. Somente em 1830 as primeiras expedições começaram a ser empreendidas ao seu topo, que, desde então, recebe grande número de visitantes em suas trilhas e encostas rochosas, tornando-se uma referência carioca para a prática do montanhismo. É uma trilha com grau de dificuldade pesado e, aproximadamente, três horas de caminhada, por isso deve ser feita apenas por pessoas com bom preparo físico e acostumadas a caminhadas pesadas e técnicas. Além disso, é sempre bom estar acompanhado de um guia ou caminhante experiente e levar uma corda, equipamentos de segurança, calçados e roupas adequadas. Tanto esforço de exercício é recompensado por uma das mais belas vistas naturais do mundo.

SEGURANÇA NA PEDRA DA GÁVEA: ter um bom preparo físico e experiência são alguns dos requisitos para esta trilha. A caminhada dura, em média, cinco horas e tem mais de 800 metros de desnível e trechos verticais expostos, onde já foram registrados casos de acidentes e até mortes. A recomendação é evitar grupos com mais de 10 pessoas e se certificar de ter pelo menos uma pessoa com experiência em escalada. É fortemente recomendado o uso de equipamentos de segurança (cadeirinha, corda, mosquetões, fitas, etc). Use roupas, tênis e mochilas adequadas e leve alimento e água para todo o trajeto.

Você também é responsável por sua segurança.

AGULHINHA DA GÁVEA

A Agulhinha da Gávea, também conhecida como Pedra Aguda, se destaca entre as montanhas do Parque por seu formato pontiagudo, além de ter uma vista incrível da praia de São Conrado e redondezas. Com cerca de 10 vias de escalada, a Agulhinha é mais rápida de subir se compararmos com a Pedra da Gávea, pois o acesso é fácil e a parede menor. Em quatro horas ou menos é possível chegar ao cume e voltar à base da montanha. Para descer basta seguir uma fácil trilha, que termina próximo da rampa de voo livre da Pedra Bonita. Pela beleza do lugar, a Agulhinha é uma excelente opção para quem quer escalar pela primeira vez no Parque Nacional da Tijuca.

Para mais informações sobre o acesso às localidades, acesse o site do Parque Nacional da Tijuca no endereço:  https://parquenacionaldatijuca.rio/visite-o-parque/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *