As investigações, potencializadas com a Missão Redentor, apontam que o grupo, gerenciado por agente político daquela região, pratica de maneira contínua e reiterada diversos crimes contra a paz pública e outros.

Por Redação, com ACS – de Rio de Janeiro

Na manhã desta quinta-feira, a Polícia Federal deflagrou, com apoio do GAECO/RJ, a Operação HOSTE, com o objetivo de desarticular o funcionamento de organização criminosa vocacionada às práticas próprias de milícia armada, dentre outros crimes, na Baixada Fluminense e em outras localidades do Estado do Rio de Janeiro.

PF deflagra operação HOSTE no Rio de Janeiro

Na ação desta quinta-feira, cerca de 150 polícias federais cumpriram 19 mandados de prisão preventiva e 29 de busca e apreensão, expedidos pela Primeira Vara Criminal Especializada da Capital, nas cidades do Rio de Janeiro, Nilópolis e Mesquita.

As investigações, potencializadas com a Missão Redentor, apontam que o grupo, gerenciado por agente político daquela região, pratica de maneira contínua e reiterada diversos crimes contra a paz pública e outros.

O propósito da organização é o lucro criminoso através da usurpação de sinal de tv e Internet (“gatonet”), venda ilegal de botijões de gás, exploração do serviço de mototáxi e outros. Todos “estes serviços” são prestados de forma irregular, sendo certo que a autoridade e “legitimidade” dos deliquentes como proprietários dos negócios é imposta através de ameaças a populares/comerciantes e pagamentos de propinas a agentes públicos.

Ainda restou evidenciado que parte do grupo se dedica a delitos de tráfico de armas e de drogas, inclusive, apresentando vínculos com outros bandos milicianos atuantes na Zona Oeste da Capital.

O nome HOSTE é uma referência à maneira hostil e agressiva através da qual essa organização de pessoas impunha sua dominação naquela região.

Missão Redentor

Estabelecida no Centro Integrado de Investigações e Operações de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro, foi criada na Superintendência Regional da PF no Rio, em julho/2021, e conta com um grupo de policiais especializados na área de inteligência no combate às organizações criminosas violentas voltadas ao tráfico de drogas e armas, corrupção e crimes ambientais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *