Segundo investigações, foi com a permissão de “Safadinho” que o Morro do Turano se tornou um dos principais redutos de clonagem de veículos do Rio de Janeiro. Recentemente, outro envolvido nesta atividade criminosa, “Tio Comel”, foi capturado.

Por Redação, com ACS – de Rio de Janeiro

Policiais civis da Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD) capturaram, na terça-feira, o chefe do tráfico de drogas do Morro do Turano, na Zona Norte do Rio. Há quase um ano, o Setor de Inteligência da unidade vinha fazendo trabalho de monitoramento e busca eletrônica pelo criminoso, conhecido como “Safadinho”.

Polícia prende chefe do tráfico do Morro do Turano

Ele foi localizado após os agentes receberem informações de que o traficante estaria saindo de um hospital, na Tijuca. O homem havia apresentado documento falso para ser atendido.

Segundo investigações, foi com a permissão de “Safadinho” que o Morro do Turano se tornou um dos principais redutos de clonagem de veículos do Rio de Janeiro. Recentemente, outro envolvido nesta atividade criminosa, “Tio Comel”, foi capturado. Ele seria o chefe de um grupo especializado em assaltos e clonagens de carros e estaria envolvido na morte do cirurgião plástico Cláudio Marsilli, durante o roubo do seu carro na Barra da Tijuca, na Zona Oeste.

Contra “Safadinho” havia um mandado de prisão preventiva pendente por tráfico de drogas e associação para o tráfico. Segundo os agentes, o traficante possui extensa ficha criminal e também responde por homicídio.

O criminoso era um dos líderes de uma facção criminosa que articulou a invasão ao Morro da Mineira, no Catumbi, em meados de 2020. A comunidade é dominada pela facção rival. No confronto, ocorreu a morte de Ana Cristina da Silva, baleada enquanto tentava proteger o filho, de 3 anos, do tiroteio.

Milícia

Agentes da Secretaria de Estado de Polícia Civil (SEPOL) realizam, nesta quarta-feira, uma operação contra as milícias que atuam em bairros da Zona Oeste do Rio e municípios da Baixada Fluminense. O objetivo é asfixiar as fontes de renda e interromper comércios e serviços ilegais, que geram grande lucro e são explorados pela organização criminosa. Até o momento, 13 pessoas foram presas. A ação é parte da FT-1000, a Força-Tarefa dos Mil Milicianos Presos.

Entre os crimes investigados estão exploração de atividades ilegais controladas pela milícia, cobranças irregulares de taxas de segurança e de moradia, instalações de centrais clandestinas de TV a cabo e de internet (gatonet/gatointernet), armazenamento e comércio irregular de botijões de gás e água, empresas de GNV ilegais, parcelamento irregular de solo urbano, exploração e construções irregulares, areais e outros crimes ambientais, comercialização de produtos falsificados, contrabando, descaminho, transporte alternativo irregular e estabelecimentos comerciais explorados pela milícia e utilizados para lavagem de dinheiro.

Participam da ação agentes das delegacias do Departamento-Geral de Polícia Especializada (DGPE): Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (DRACO), Delegacia de Polícia Interestadual – Divisão de Capturas (DC-Polinter), Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD), Delegacia do Consumidor (DECON), Delegacia Fazendária (DELFAZ), Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Propriedade Imaterial (DRCPIM), Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA), Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA), Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (DESARME), Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC) e Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), com apoio de informações do Disque Denúncia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *