A ferramenta tem o objetivo de facilitar o acesso a informações oficiais por parte de familiares de pessoas desaparecidas. A entrega do site foi antecipada para atender a demanda da tragédia provocada pelas chuvas em Petrópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro.

Por Redação, com ACS – de Rio de Janeiro

A Secretaria de Estado de Polícia Civil (Sepol) colocou no ar o “Portal de Desaparecidos”, um canal de cadastro que permite a consulta de fotografias e informações de pessoas desaparecidas.

Polícia Civil RJ lança o “Portal de Desaparecidos”

O sistema foi desenvolvido pelo Departamento-Geral de Tecnologia da Informação e Telecomunicações (DGTIT) da instituição, em conjunto com a Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA).

A ferramenta tem o objetivo de facilitar o acesso a informações oficiais por parte de familiares de pessoas desaparecidas. A entrega do site foi antecipada para atender a demanda da tragédia provocada pelas chuvas em Petrópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro. Os ajustes, em caso de necessidade, serão realizados com a página em funcionamento.

Para que as imagens e as informações sobre pessoas desaparecidas sejam disponibilizadas é necessário que se faça o registro de ocorrência em qualquer delegacia física ou por meio do site: delegaciaonline.pcivil.rj.gov.br.

Trata-se de uma plataforma no âmbito estadual, que será alimentada com informações sobre a descoberta de paradeiro. Familiares de pessoas desaparecidas poderão acompanhar as atualizações de forma on-line para saber se o ente foi encontrado e em quais condições.

A Polícia Civil reforça a importância da participação da população em caso de qualquer informação sobre desaparecidos. O contato pode ser feito diretamente à DDPA pelos telefones (21) 2202-0338 e 2582-7129 ou por WhatsApp (21) 98322-0228.

Miliciano acusado de homicídio

Policiais civis da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) do Rio prenderam, na quinta-feira, um miliciano pelo crime de homicídio. Ele foi capturado em Inhoaíba, na Zona Oeste, após levantamento de dados de inteligência e monitoramento.

De acordo com os policiais da DPCA, na tentativa de não ser preso, o criminoso se desfez de telefones e mudou de endereço, sendo detido, hoje, na nova residência. Ele é apontado como integrante da milícia que atua naquela localidade.

A ação é parte da FT-1000, a Força-Tarefa dos Mil Milicianos Presos, e contou com apoio de informações do Disque-Denúncia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *