Até as 7h, haviam sido apreendidos seis fuzis, três pistolas e duas granadas. De acordo com a PRF, a operação, que conta com a participação do Batalhão de Operações Especiais da PM (Bope), continua e a situação na região ainda é instável.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

Uma operação da Polícia Militar (PM) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) deixou ao menos oito mortos na Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha, na Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro. Segundo a PRF, o objetivo da operação é cumprir mandados de prisão contra suspeitos de roubo de cargas.

Operação da PM e PRF deixa pelo menos oito mortos no Rio de Janeiro

Segundo a PRF, logo no início da operação, os agentes encontraram criminosos “fortemente armados” e iniciou-se um confronto.

Até as 7h, haviam sido apreendidos seis fuzis, três pistolas e duas granadas. De acordo com a PRF, a operação, que conta com a participação do Batalhão de Operações Especiais da PM (Bope), continua e a situação na região ainda é instável.

Adolescente infrator

Policiais civis da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) apreenderam, na quinta-feira, um adolescente infrator por fato análogo ao crime de roubo. Ele foi capturado ao retornar à sua residência, no Jacarezinho, Zona Norte do Rio, para buscar pertences pessoais. Em razão da implantação do programa do Governo do Estado de retomada de territórios, o Cidade Integrada, o menor havia fugido da comunidade.

De acordo com os agentes, o adolescente passou a se esconder na comunidade Vila Cruzeiro, no bairro da Penha, onde atua a mesma facção criminosa do Jacarezinho. A captura foi possível mediante levantamento de dados de inteligência e monitoramento por parte do Setor de Inteligência da DPCA.

Contra o menor, foi cumprido mandado de busca e apreensão expedido pela Vara de Execuções de Medidas Socioeducativas

Fábrica clandestina de bebidas

Policiais civis da 32ª DP (Taquara) estouraram, nesta quinta-feira, uma fábrica de bebidas falsificadas, na Vila Gabriela, no município de Itaboraí. De acordo com investigações da unidade, as bebidas produzidas no estabelecimento clandestino abasteciam bailes funk da Cidade de Deus, na Zona Oeste do Rio.

No momento da operação, havia 12 pessoas no local. Todas foram presas em flagrante e encaminhadas à delegacia da Taquara.

De acordo com os agentes, os bailes funda da Cidade de Deus são eventos não autorizados, organizados pela facção criminosa que domina a comunidade. O lucro gerado por esses eventos é de aproximadamente R$ 1 milhão por mês.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.