A ação tem o objetivo de cumprir 15 mandados de prisão e 17 de busca e apreensão, além do bloqueio judicial de aproximadamente R$ 13,5 milhões entre contas bancárias e carteiras de criptomoedas dos suspeitos e das empresas envolvidas, e sequestro de bens de alto valor.

Por Redação, com ACS – do Rio de Janeiro

A Secretaria de Estado de Polícia Civil (Sepol), por meio da Delegacia de Combate ao Crime Organizado e à Lavagem de Dinheiro (DCOC-LD), deflagrou, na manhã desta quinta-feira, a Operação Véritas contra uma das maiores organizações criminosas de fraudes bancárias atuantes dentro e fora do Estado do Rio de Janeiro. A ação conta com o apoio do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Nove pessoas foram presas.

Polícia Civil deflagra operação contra quadrilha especializada em fraudes bancárias

A ação tem o objetivo de cumprir 15 mandados de prisão e 17 de busca e apreensão, além do bloqueio judicial de aproximadamente R$ 13,5 milhões entre contas bancárias e carteiras de criptomoedas dos suspeitos e das empresas envolvidas, e sequestro de bens de alto valor.

De acordo com as investigações, o grupo criminoso realiza saques fraudulentos se passando por clientes, muitos dos quais idosos, mediante o desvio de cheques e recebimento indevido de pensões, ocasionando prejuízos milionários aos bancos e seus clientes. Funcionários de instituições bancárias são apontados como integrantes da quadrilha.

Segundo os policiais, os envolvidos acumularam riqueza e patrimônio incompatível com suas capacidades. Os investigados foram indiciados pelos crimes de lavagem de dinheiro, organização criminosa e estelionato.

Complexo do Jóquei

Policiais da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE) realizam, na manhã desta quinta-feira, uma operação no Complexo do Jóquei, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio. O objetivo da ação é prender integrantes da maior facção criminosa do Estado que atua na região e apreender armas e drogas.

Ao todo foram cumpridos seis mandados de prisão, sendo quatro para suspeitos que já estavam custodiados. Outros dois mandados foram cumpridos na comunidade e uma outra pessoa foi presa em flagrante por associação ao tráfico drogas. Com ele, foi encontrada uma pequena quantidade de material para embalar drogas e dois rádios transmissores.

De acordo com as investigações, o tráfico atua como uma verdadeira narcomilícia naquele território, cobrando taxas mensais aos moradores e impondo medo à população local. O grupo criminoso também é acusado de praticar uma série de homicídios para demonstrar poder e aniquilar inimigos de quadrilhas rivais.

Crimes de estupro de vulnerável

Policiais civis da 127ª DP (Armação de Búzios) capturaram, na quarta-feira, um homem, de 46 anos, acusado pelos crimes de estupro de vulnerável e aliciamento de uma criança de 10 anos. O criminoso foi localizado após monitoramento do setor de inteligência da unidade, e contra ele foi cumprido mandado de prisão temporária, expedido pelo Juízo da 2ª Vara da Comarca de Armação dos Búzios.

As investigações apontam que os crimes ocorreram em setembro, quando o criminoso, que é pastor de uma comunidade frequentada pela família da vítima, aproveitava-se da relação de confiança para assediar a criança e praticar atos libidinosos. Foi verificado que o homem estabeleceu um pacto de segredo com a vítima, ensinado-a a apagar as mensagens enviadas e orientando para que não contasse para ninguém os fatos ocorridos entre eles.

As diligências continuam para identificar outras possíveis vítimas.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.