Jornal da Zona Sul e Zona Norte do Rio de Janeiro

Protetoras denunciam aumento do abandono de cães e gatos em Nova Iguaçu e cobram apoio da prefeitura

Segundo o coletivo, administração municipal não possui uma secretaria para cuidar do tema e promessas do prefeito não saem do papel. Defensoras da causa animal de Nova Iguaçu denunciam o aumento do abandono de cães e gatos nas ruas
Protetoras da causa animal estão denunciando o aumento do abandono de cães e gatos nas ruas de Nova Iguaçu e a falta de apoio da prefeitura da cidade na Baixada Fluminense.
“A prefeitura não ajuda. O prefeito [Rogério Lisboa] prometeu muito e até agora nada”, disse Cida Bruto, uma das voluntárias.
A luta é pela dignidade dos animais abandonados pelas ruas da cidade ou que vivem em colônias como a das irmãs Cleuza e Carminha, que abrigam cerca de 100 gatos dentro de sua casa.
“É muito duro. A gente ama os animais. Eu creio q essa é uma missão que Deus me deu. Estou com 82 anos e estou aguentando fazer isso tudo”, contou a também voluntária Cleuza Machado dos Santos.
Segundo o coletivo, o município de Nova Iguaçu não possui uma secretaria para cuidar do tema.
“Aqui em Nova Iguaçu a gente tem uma assessora. A assessora da causa animal que foi nomeada em agosto. Porém, até o momento não existe nenhuma ação efetiva”, comentou Girlândia Mota, que também faz parte do coletivo.
Em setembro, elas se concentraram na frente da casa do prefeito para cobrar uma política pública.
“Soubemos que ele atende alguns em frente à casa dele e fomos até lá. Mas, infelizmente, até agora nada foi feito, só promessas”, completou.
Elas elaboraram um documento e apresentaram ao prefeito e à Câmara dos Vereadores com reivindicações, como convênio com farmácias, pet shops e laboratórios, cadastro de colônias de animais e criação de um censo animal para a cidade.
“Estamos aguardando a ração que ficaram de doar para todos os protetores que tivessem acima de 10 animais em suas residências. Até agora só promessas”, desabafou Elisa Ferreira.
Um projeto de lei que cria uma unidade móvel de castração, ponto focal da lei federal que prevê a castração de animais abandonados nas ruas ou de famílias carentes, foi sancionado pelo prefeito em 2021. Entretanto, segundo as protetoras, também não saiu do papel.
O que diz a Prefeitura de Nova Iguaçu
A prefeitura de Nova Iguaçu informou que criou a Assessoria Especial de Proteção Animal para articular ações de proteção e defesa animal. Também afirmou que está indo em locais de denúncia de maus-tratos junto com a Patrulha Ambiental.
Em relação ao “castramóvel”, a prefeitura comunicou que está propondo parcerias com universidades para começar o projeto ainda este ano.
Por último, disse que possui um projeto em desenvolvimento para recolher doações de ração e encaminhar para os protetores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *