Policiais civis da 88ª DP (Barra do Piraí) prenderam, nesta terça-feira, um casal que participou de um roubo a uma casa lotérica do bairro Califórnia, em Barra do Piraí, no início de junho deste ano. Ao todo, R$ 164 mil foram levados do estabelecimento.

Por Redação, com ACS – de Rio de Janeiro

Policiais civis da 88ª DP (Barra do Piraí) prenderam, nesta terça-feira, um casal que participou de um roubo a uma casa lotérica do bairro Califórnia, em Barra do Piraí, no início de junho deste ano. Ao todo, R$ 164 mil foram levados do estabelecimento. A mulher era funcionária do local e chegou a prestar depoimento na delegacia, na época do crime, na condição de vítima.

Polícia Civil prende casal que roubou casa lotérica em Barra do Piraí

Os agentes iniciaram diligências após registro do boletim de ocorrência. Imagens de câmeras de segurança do estabelecimento foram analisadas e testemunhas prestaram depoimento. Um dos policiais desconfiou da declaração dada por uma das funcionárias e, a partir disso, ela passou a ser monitorada pela equipe da 88ª DP. As investigações mostraram que ela teria planejado tudo com o namorado, que praticou o roubo.

Após o crime, o casal passou a viver uma lua de mel e gastar o dinheiro com viagens e restaurantes caros. Entre os bens adquiridos estão relógios de luxo, aparelhos de telefone celular e um carro. Em uma das viagens, a dupla se hospedou em um hotel no Leblon, Zona Sul do Rio, com diárias de até R$ 1,5 mil.

Por meio de um levantamento de informações, coleta de depoimentos e análise de imagens, a equipe da 88ª DP realizou diligências e os criminosos foram capturados no município de Volta Redonda, Região do Médio Paraíba, com apoio da 93ª DP (Volta Redonda). O casal responderá pelo crime de roubo e pode pegar até 15 anos de prisão.

De acordo com a Delegacia de Barra do Piraí, as investigações prosseguem para identificar outros possíveis envolvidos no assalto.

Meninos desaparecidos

A Polícia Civil do Rio de Janeiro informou, na segunda-feira, que a ossada encontrada em um rio no município de Belford Roxo não é humana, o que descarta a possibilidade de ser de um dos três meninos desaparecidos na região. Buscas vêm sendo feitas no local, após um homem ter dito que seu irmão havia descartado no local sacos com os corpos dos meninos.

“De acordo com o resultado do laudo da perícia, o fragmento de osso encontrado não é de ser humano. As investigações e buscas continuam na Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF)”, informou a Polícia Civil.

Lucas Matheus, de 9 anos, Alexandre Silva, de 11, e Fernando Henrique, de 12, desapareceram no dia 27 de dezembro do ano passado. Eles saíram para brincar e não foram mais vistos. Em março, o Ministério Público (MP) identificou as últimas imagens das crianças, feitas por câmeras de segurança na Rua Malopia, na Vila Medeiros, bairro vizinho ao que elas moravam. Nas imagens, os três aparecem andando juntos, tranquilamente, enquanto conversam de forma descontraída.

A Polícia Civil criou uma força-tarefa para investigar o desaparecimento apenas em abril.

Uma operação em maio prendeu 16 pessoas no bairro do Castelar, acusadas de envolvimento com o tráfico de drogas e o roubo de cargas na região, que poderiam estar envolvidas no desaparecimento dos três meninos.

Uma das informações recebidas pela polícia diz que os meninos desaparecidos teriam sido mortos a mando de um traficante local, por terem furtado uma gaiola de passarinho. No entanto, a real motivação do crime ainda não está comprovada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *