A Polícia Civil realizou, nesta sexta-feira, uma operação na Região Metropolitana e na Baixada Fluminense para desarticular atividades ilegais e asfixiar fontes de renda de milicianos.

Por Redação, com ACS – de Rio de Janeiro

A Polícia Civil realizou, nesta sexta-feira, uma operação na Região Metropolitana e na Baixada Fluminense para desarticular atividades ilegais e asfixiar fontes de renda de milicianos. As ações foram efetuadas pela Força-Tarefa de combate à milícia, por meio do Departamento-Geral de Polícia Especializada (DGPE) e da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (DRACO). Até o momento, 10 pessoas foram presas. A operação tem apoio de informações do Disque-Denúncia.

Uma das prisões feitas pela DC-Polinter

Durante a operação, a equipe da Divisão de Capturas e Polícia Interestadual (DC-Polinter) prendeu, no KM 32, em Nova Iguaçu, o responsável por extorsões, sequestros e cobranças da milícia. Ele tinha um mandado de prisão pendente por extorsão mediante sequestro. Já a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) cumpriu um mandado de prisão contra um homem apontado como executor da milícia.

Dois depósitos de gás clandestinos e provedores ilegais de Internet foram desarticulados pela Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD) e Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme).

Lojas que vendiam produtos piratas e TVs Box foram interditadas pela Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Propriedade Imaterial (DRCPIM) e estabelecimentos comerciais explorados pelos milicianos também foram fechados pela Delegacia do Consumidor (Decon) e Delegacia Fazendária (Delfaz). Além disso, a Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC) prendeu, em São João de Meriti, um miliciano.

Entre os crimes investigados estão exploração de atividades ilegais controladas pela milícia; cobranças irregulares de taxas de segurança e de moradia; instalações de centrais clandestinas de TV a cabo e de Internet (gatonet/gatointernet); armazenamento e comércio irregular de botijões de gás e água; empresas de GNV ilegais; parcelamento irregular de solo urbano; exploração e construções irregulares, areais e outros crimes ambientais; comercialização de produtos falsificados; contrabando; descaminho; transporte alternativo irregular; estabelecimentos comerciais explorados pela milícia e utilizados para lavagem de dinheiro, entre outras ilegalidades.

Material falsificado

Agentes da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Propriedade Imaterial (DRCPIM) e da Barreira Fiscal realizaram, na madrugada desta sexta-feira, uma ação na Rodovia Presidente Dutra, na altura de Itatiaia, no Sul Fluminense, e apreenderam uma tonelada de material falsificado. Os produtos foram localizados dentro de um caminhão de verduras vindo de São Paulo.

Segundo os agentes, duas pessoas foram conduzidas à delegacia. Aparelhos eletrônicos e itens de vestuários foram apreendidos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.