Coluna da Dentista – DENTES SENSÍVEIS?

Uma sensação dolorosa – comumente relatada por dentes sensíveis – pode ser a manifestação de um problema denominado: Hipersensibilidade Dentinária.

O dente é formado pela polpa (tecido vivo do dente), pela dentina, (tecido intermediário em que se encontram as terminações nervosas da polpa, sendo assim a dentina é um tecido sensível) e esmalte ou cimento (ambos são tecidos de proteção que protegem a dentina na coroa e na raiz do dente, respectivamente).

A dor ocorre quando o dente pede esmalte ou cimento, deixando a dentina exposta ao frio e ao quente, o que vai ocasionar uma movimentação de fluidos no interior dos túbulos dentinários (onde ficam os “pés” dos nervos dentários) desencadeando a sensação de dor na polpa.

A perda deste revestimento natural pode ser ocasionada por abrasões, erosões dentais ou atrição. Nas erosões os principais responsáveis são os ácidos. O consumo excessivo de refrigerantes, frutas ácidas e sucos cítricos, além de algumas drogas, prejudicam os dentes. Também quem sofre de bulimia ou anorexia nervosa, em que se nota o hábito de vômito, pode apresentar erosões, devido ao ácido presente no muco gástrico que retorna à boca;

Na abrasão, o desgaste é ocasionado por ação mecânica. Neste caso é importante observar a qualidade da escova dental que precisa ser macia.

Além disso, a escovação não pode ser feita com movimentos bruscos, pois sua função é remover a placa bacteriana, não a estrutura dental.

Outro processo que causa o desgaste do esmalte na coroa do dente é a atrição. Ela acontece devido a mastigação ou por hábitos parafuncionais, como o bruxismo (esfregar durante o sono um dente no outro até desgastar) – estarei falando deste hábito mais detalhadamente na próxima edição. Se o paciente apresentar problemas oclusionais (de encaixe dos dentes) também podem ocorrer trincas no esmalte.

Esse problema de hipersensibilidade pode ser tratado por meio de polimento dos dentes, assim como bochecho com flúor, entre outras coisas, faça a limpeza dos dentes regularmente, assim como a aplicação de flúor tópico.

Até a próxima, Dra. Renata Pescadinha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *