Jornal de Bairros – Zona Sul e Grande Tijuca

SEXUALIDADE – RELAÇÕES SÃO COMO LIVROS?

Já repararam o quanto que as relações com os livros são tão parecidas com os relacionamentos entre homens e mulheres? Aposto que você já leu um livro que jurava que era legal, mas quando começou a ler, algo te fez desistir pelo caminho e ele ficou lá, na estante.

Mas, às vezes, solitária numa noite qualquer, sem sono e sem ter o que fazer, pega-o novamente e tenta voltar a ler. Há pessoas naturalmente descompensadas, se gostam, devoram cada página. Senão, ficam se obrigando e olham aquela capa “te olhando” como quem diz “- E aí, vai terminar não?”… como cobrança de namorada enjoada.

Agora, tem aqueles que você não dá nada por eles, mas vão te conquistando e te roubando e quando você percebe, ele está sempre contigo: seja no pensamento, seja na bolsa. E parece que o tempo para quando estão só vocês dois. Pensamos: “- Tomara que fulano fure aquele programa para eu ficar com meu livro.” E mesmo quando acaba, você já não é mais o mesmo. Ele estará sempre contigo, tatuado na sua personalidade.

Às vezes, foi tão bom pra você que após ler a última página, você vira a capa na esperança de ter mais umas 100 escondidas ali. Mas nunca tem. E você fica triste quando acaba, porque foi bom, mas ao mesmo tempo, fica feliz por ter conhecido o livro e por ter crescido um pouquinho mais através dele. E muitas vezes o próximo nem é tão ruim, mas coitado, não dá pra comparar.

Tem pessoas que precisam de um tempo próprio para se cicatrizarem de relacionamentos e livros, sob pena de desperdiçar, ou não aproveitar na plenitude, as oportunidades seguintes. Tem outras que emendam um livro no outro. Lêem vários ao mesmo tempo e dependendo do estado de espírito escolhem o seu acompanhante do dia, da semana, ou mesmo do mês, vai saber qual é o tamanho do livro.

E quando as pessoas percebem que existe uma química entre elas e seus livros? Ai a noite está apenas começando, a viagem pode ser longa, os personagens interessantes e o enredo de novela.

Dra. Ana Paula Veiga | Sexóloga

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *