Jornal Com Distribuição Mensal nas Zonas Norte (Tijuca - Vila Isabel - Grajaú - Andaraí) e Sul (Botafogo - Urca - Humaitá) do Rio de Janeiro
 
 
 home / página incial
 siga o correio carioca no twitter
 correio carioca no facebook
 
TURISMO - TURISMO: BRUGES, BÉLGICA

A colonização alemã deixou fortes influências na arquitetura, na cultura, na culinária e nos quase impronunciáveis sobrenomes de uma das principais cidades de origem germânica do país.

O nome da cidade “ Brujas” sugiu por volta do século XV com a presença dos espanhóis Flanders quando os Países Baixos estavam sob o domínio espanhol do Rei Felipe II.


No entanto, os habitantes não simpatizavam com o nome, pois achavam que não soava bem .


Seu estilo gótico e suas obras de arte flamenca fazem de Brugesum verdadeiro museu a céu aberto. Tamanha beleza foi reconhecida em 2000, ao ser tombada como Patrimônio Histórico Mundial pela UNESCO, devido a seu esplendor medieval.


O charme e o romantismo da cidade atraem e tornamBruges a cidade mais visitada da Bélgica, recebendo mais de 4 milhões de turistas ao ano.


O Campanário é uma imponente torre sineira medieval localizada no centro de Bruges. É considerada por todos o símbolo da cidade. Atorre foi construída em 1240 e funcionava como posto de observação para detectar incêndios e proteger-se de ataques inimigos. As dependências da torre ainda possuem suas utilidades: sua base está destinada aos magistrados da cidade e no terceiro andar funciona acervo dos arquivos de documentos oficiais.


O Santo Sangue está exposto na Basílica da cidade, e tornou-se uma relíquia depois que Cristo proferiu na Santa Ceia: “Este sangue é meu”. Segundo a lenda, o sangue de Cristo foi responsável por muitos milagres.


O Lago do Amor também é bastante visitado por turistas e nativos. Segundo a lenda, a pessoa apaixonada que parar sobre a ponte do Lago do Amor por algus minutos e fizer um pedido, este será atendido.


Bruges também possui três interessantíssimos museus:
Museu do Chocolate, mostrando a seus visitantes como é produzido o melhor cholate do mundo.
O Museu do Diamante, fundado em 1999, que possui um rico acervo retratando a história do diamante. É explicado como o diamantista e o lapidador exercem suas funções e quais são os métodos de mineração.


E finalmente, um dos museus mais visitados da cidade: o Museu da Cerveja, exibindo as mais de 800 marcas de cervejas diferentes da Bélgica.






 
 
« veja matérias sobre o Rio de Janeiro, Esportes, Turismo, Saúde entre outros temas.
 
 
 
 
© Correio Carioca   -   Expediente   -   Política de Privacidade   -   Anuncie   -  Fale Conosco