Jornal Com Distribuição Mensal nas Zonas Norte (Tijuca - Vila Isabel - Grajaú - Andaraí) e Sul (Botafogo - Urca - Humaitá) do Rio de Janeiro
 
 
 home / página incial
 siga o correio carioca no twitter
 correio carioca no facebook
 
O Sonho de Morar na Urca

Imóveis podem chegar a 3 milhões, mas quem conhece o bairro pode achar até barato.

Uma tradicionalíssima mureta de granito separa uma tranqüila rua e o mar. Ao fundo, como se fosse num quadro, o Pão de Açúcar ao lado das praias do Flamengo e de Botafogo, uma distante vista de Niterói, da Ponte e, no horizonte, um relevo de morros, montanhas e mais uma vez o mar. Essa é a silenciosa Urca. Um dos preferidos bairros dos poetas é também um sonho de moradia a maioria dos cariocas que conhecem o lugar.

Não é exagero. Tem até pesquisa de opinião comprovando a tese. Mas será que é possível morar nesse bairro sem igual? A resposta é positiva, mas a concorrência é grande, os valores dos imóveis são altos e quem desejar alcançar este sonho provavelmente terá que se contentar com opções de construções antigas, já que não se pode mais construir na Urca.

Em pesquisa feita com aproximadamente dois mil entrevistados a pergunta principal era qual a região do Rio de Janeiro considerada sonho de moradia. A Avenida Delfim Moreira ficou em quarto lugar, a Avenida Vieira Souto em terceiro, a Lagoa ficou com a segunda colocação e a Urca, com quase 33% do total ficou em primeiríssimo lugar.

Mas afinal, há imóveis à venda? Quando terá uma nova construção? E quanto custa? Na verdade há imóveis à venda no bairro, mas são poucos. Talvez até por ser uma localidade pequena, mas sobretudo porque quem mora ali geralmente não quer se mudar. Para se ter uma idéia, em uma rápida busca pela internet, no principal site de vendas de imóveis, encontramos apenas nove unidades disponíveis.

Já em relação a novas construções, é praticamente inviável, pois um projeto urbanístico datado de 1978 inibiu novas construções no local. Poucos imóveis foram construídos desde então, o que dificulta ainda mais a compra.

Quanto ao valor de mercado, em pesquisa realizada pelo Correio Carioca, foi constatada uma variação do valor do metro quadrado no bairro que vai de 7 a 13 mil reais, com uma média de 9 mil. No site que citamos, por exemplo, há um imóvel disponível para a venda, relativamente barato, com 2 quartos e 65 metros quadrados sendo vendido por R$ 450 mil. Barato para a Urca, claro. No entanto, há um belo e moderno apartamento de 235 metros quadrados sendo oferecido por R$ 3 milhões de reais. E quem conhece o imóvel diz que é difícil encontrar alguém que discorde do valor.

Especialistas dizem que ter um imóvel na Urca é considerado um sonho de consumo por alguns fatores, como ser um ambiente único, uma espécie de cidade de interior, ou quase uma ilha, dentro de uma capital como a nossa. Além disso, pela quantidade de comércios e empresas no local, geralmente quem está na Urca é morador e isso forma uma vizinhança que se conhece bem, com poucos desconhecidos no local, principalmente à noite. Outro motivo apontado é a segurança. Fora o transporte marítimo, a Urca só tem uma entrada e uma saída, além de contar com a Fortaleza Militar, que mesmo não fazendo papel de polícia na região, impõe respeito. Também é comum as rondas policiais e a visitação de batalhões de polícia para treinamentos na área militar, incluindo o Bope. E um outro motivo parece óbvio: é um bairro tranquilo, silencioso e tão lindo, que é um dos principais cartões postais de todo o mundo.

Alguém pode falar que apesar de tudo isso a Urca possui um comércio fraco, o que a torna dependente de outras áreas da cidade, e que o transporte deixa um pouco a desejar, mas até esses pontos que a princípio parecem desfavoráveis, olhados por outro ângulo, facilitam a sua preservação e a característica interiorana tão buscada nos dias de hoje. Um bairro tão especial, onde até os fatores negativos tornam-se positivos. Depois de tudo isso, aqueles 3 milhões de reais já não parecem tanto assim.

 
 
« veja matérias sobre o Rio de Janeiro, Esportes, Turismo, Saúde entre outros temas.
 
 
 
 
© Correio Carioca   -   Expediente   -   Política de Privacidade   -   Anuncie   -  Fale Conosco