Jornal Com Distribuição Mensal nas Zonas Norte (Tijuca - Vila Isabel - Grajaú - Andaraí) e Sul (Botafogo - Urca - Humaitá) do Rio de Janeiro
 
 
 home / página incial
 siga o correio carioca no twitter
 correio carioca no facebook
 
SEXUALIDADE - O BRINQUEDINHO VICIA?

Muitos homens têm medo do vibrador roubar a cena. E se esse objeto for o responsável pelo orgasmo delas? Será o fim de tanto (des)empenho? Vamos com muita calma pois não é assim. O vibrador, assim como qualquer outro acessório, é um recurso completamente sadio e normal dentro de quartos quando os dois concordam com a sua utilização. Caso contrário, ele deverá voltar pra gaveta ou nem sair da loja.


Antes utilizados por solterias, encalhadas e viúvas. Hoje utilizado por mulheres que se dizem mais à vontade de levarem um terceiro elemento para a cama. Mas e o que fazer se ele não quer nem tentar? Não adianta, eu sei. Tem uns que não estão abertos para a novidade e ai é um trabalho de consciência masculina ou da persistência feminina. Claro que vale se questionar o quanto que ele também é importante para a realização da mulher para que seu uso não se transforme em uma guerra de poder. Então vamos sanar a primeira questão: vibrador nenhum conhece o caminho para o Grande Ó. Não vai achando que o seu uso vai trazer o caminho do orgasmo perdido. Se fosse assim, ele não se chamaria vibrador e sim GPS. O que acontece é que seu uso pode facilitar no conhecimento das reações corporais. Além dele, o uso de outras técnicas e o bom e velho corpo do parceiro também servem como aliados.


Assim, o problema não está em seu uso mas na falta de comunicação entre os parceiros. Está na dificuldade de entendimento e de acordos na relação. Imagina que chato deve ser uma mulher frustrada por querer experimentar o vibrador e um homem angustiado em se sentir comparado ou deixado de lado.


Façam ou não façam o que sentirem vontade mas cuidado com o poder que se pode acabar atribuindo a um simples objeto. A manipulação é que vai ser o diferencial nessas horas e para manipular é preciso conhecer o caminho a ser percorrido. Descubra como descobrí-lo e faça bom proveito das suas novas potencialidades.


Dra. Ana Paula Veiga








 
 
« veja matérias sobre o Rio de Janeiro, Esportes, Turismo, Saúde entre outros temas.
 
 
 
 
© Correio Carioca   -   Expediente   -   Política de Privacidade   -   Anuncie   -  Fale Conosco