Jornal Com Distribuição Mensal nas Zonas Norte (Tijuca - Vila Isabel - Grajaú - Andaraí) e Sul (Botafogo - Urca - Humaitá) do Rio de Janeiro
 
 
 home / página incial
 siga o correio carioca no twitter
 correio carioca no facebook
 
Gatronomia: Pipoca

Diante da expectativa da entrega do Oscar daqui a alguns dias, lembrei que poucas coisas harmonizam tanto quanto um bom filme e um balde de pipoca.

Curioso pra saber como isso começou?


O milho é cultivado nos EUA há milênios, e supõe-se que a primeira “pipoca” tenha estourado meio por acaso, quando um índio distraído atirou um grão do cereal no fogo.


Fato é que a pipoca se popularizou no final do século 19, por meio de vendedores ambulantes. Mais ou menos na mesma época surgiram os primeiros cinemas americanos, e logo alguém teve a ideia de vender pipoca dentro do cinema. Em pouco tempo a venda de pipoca, um petisco barato, tornou-se mais lucrativa que a própria venda de ingressos.


Durante a crise econômica de 1929, foi graças ao lucro com a venda de pipoca que os donos de cinemas conseguiram baixar o preço dos ingressos para que as pessoas não deixassem de frequentar as salas de exibição.


Na década de 40, o surgimento da televisão provocou nova redução no faturamento dos cinemas, e mais uma vez quem salvou os empresários do ramo foi a pipoca.


O milho de pipoca é uma variação bastante parecida com o milho original. Seu grão é composto por amido, água e uma casca rígida. O estouro se deve à água contida no interior do grão. À medida que o calor aumenta, o amido se funde com a água e se expande, explodindo na forma de pipoca.


Os sabores básicos iniciais – sal e açúcar - evoluíram e deram origem às pipocas sem gordura e com ingredientes saudáveis que vemos hoje. Com a sofisticação da gastronomia, logo surgiram também pipocas gourmet, incrementadas com trufas, queijos e ingredientes finos; pipocas que mesclam sabores doces e salgados (como cheddar e caramelo) e o que mais a imaginação permitir.

Nádia Lamas - Gastrônoma
http://vieirasetrufas.blogspot.com.br









 
 
« veja matérias sobre o Rio de Janeiro, Esportes, Turismo, Saúde entre outros temas.
 
 
 
 
© Correio Carioca   -   Expediente   -   Política de Privacidade   -   Anuncie   -  Fale Conosco