Jornal Com Distribuição Mensal nas Zonas Norte (Tijuca - Vila Isabel - Grajaú - Andaraí) e Sul (Botafogo - Urca - Humaitá) do Rio de Janeiro
 
 
 home / página incial
 siga o correio carioca no twitter
 correio carioca no facebook
 
Fábrica da Brahma

Quem passa pelas imediações da Rua José Higino com a Avenida Maracanã e se depara com um moderno supermercado talvez não saiba que ali funcionou durante muitas décadas uma grande fábrica de cerveja e refrigerantes.

Essa fábrica inicialmente pertencia à Companhia Hanseática, sendo um dos marcos da revolução industrial na Tijuca naquela época.

Posteriormente, em 1904, as instalações foram compradas pela Companhia Cervejaria Brahma, que manteve a arquitetura original de seu prédio e a imponente chaminé, que está no local até hoje, em ótimo estado de conservação e chamando a atenção dos transeuntes e motoristas. Ela é uma das maiores da cidade do Rio de Janeiro.

Um fato curioso é que à época circulava a informação entre os moradores da região de que os produtos oriundos da fábrica de bebidas possuíam excelente qualidade e alto grau de pureza, pois eram feitos com a límpida água proveniente da cascatinha da Floresta da Tijuca, no Alto da Boavista.

Outra situação pitoresca que era muito comentada naquela época é que para fabricar seu famoso guaraná a fábrica utilizava uma quantidade muito grande de claras de ovos, que eram usadas no processo de industrialização do produto. Como as gemas seriam desperdiçadas a indústria as trocava por claras com uma fábrica de sorvetes. 

O prédio histórico e a imponente chaminé que até hoje dominam o cenário da Tijuca, sabiamente bem preservados até a atualidade, devem ser sempre lembrados pelos moradores como sendo símbolos de uma época de revolução industrial na região e inclusive como sendo importantes marcos culturais.    

 


 
 
« veja matérias sobre o Rio de Janeiro, Esportes, Turismo, Saúde entre outros temas.
 
 
 
 
© Correio Carioca   -   Expediente   -   Política de Privacidade   -   Anuncie   -  Fale Conosco