Jornal Com Distribuição Mensal nas Zonas Norte (Tijuca - Vila Isabel - Grajaú - Andaraí) e Sul (Botafogo - Urca - Humaitá) do Rio de Janeiro
 
 
 home / página incial
 siga o correio carioca no twitter
 correio carioca no facebook
 
Cuscuz e Suas Variações

Cuscuz (ou couscous) marroquino são grânulos de sêmola enrolados manualmente, feitos a partir de grãos de trigo moídos. É encontrado pré-cozido nos supermercados, bastando hidratá-lo por 5 minutos. Por ser importado, já foi caro, mas hoje é possível encontrá-lo por preços bem acessíveis.

O prato teve origem na região do Maghreb, no norte da África (os atuais países Marrocos, Tunísia e Argélia) e data da época dos berberes, primeiros povos nômades que habitaram a região. Tais povos já preparavam o cuscuz em 238 a.C. Com a invasão moura do sul da Europa no século XIII, o prato foi levado para países como Espanha e Portugal, onde há registros de receitas de cuscuz nos séculos XVI e XVII. Os judeus sefaraditas da Europa incorporaram o cuscuz à sua cozinha e o levaram para os locais em que se fixaram, como  Itália, norte da África e Oriente Médio. Na Sicília, entretanto, devido à proximidade geográfica com o norte da África, o prato já havia sido introduzido bem antes, entre os anos de 827 e 1063. Nesta ilha o cuscuz é um prato de grande tradição e existe até hoje um festival anual que reúne receitas de cuscuz de todo o mundo.

No Brasil temos nosso cuscuz, prato típico em duas versões: nordestina e paulista, com farinhas de milho e mandioca em substituição à sêmola de trigo africana. O mais provável é que tenha sido trazido pelos portugueses.

Simples, elegante e fácil de preparar, o cuscuz permite infinitas combinações (até couscous doce, com açúcar e canela) e é um grande quebra-galho na cozinha.

http://vieirasetrufas.blogspot.com

 







 
 
« veja matérias sobre o Rio de Janeiro, Esportes, Turismo, Saúde entre outros temas.
 
 
 
 
© Correio Carioca   -   Expediente   -   Política de Privacidade   -   Anuncie   -  Fale Conosco