Jornal Com Distribuição Mensal nas Zonas Norte (Tijuca - Vila Isabel - Grajaú - Andaraí) e Sul (Botafogo - Urca - Humaitá) do Rio de Janeiro
 
 
 home / página incial
 siga o correio carioca no twitter
 correio carioca no facebook
 
Copa do Mundo 2010

Após quatro anos o mundo volta a viver o clima de Copa do Mundo. Pela primeira vez na história o maior evento do futebol mundial será disputado no continente africano.

A África do Sul, país sede da Copa, estruturou-se bastante para receber o torneio. Os preparativos foram feitos durante os últimos anos, estádios foram construídos e reformados e a população do país está bastante animada.

As 32 seleções qualificadas para a maior competição do futebol começam a disputa pela taça no dia 11 de junho. O jogo que abrirá o mundial será África x México. O Brasil somente estreia no dia 15 de junho.

As principais candidatas ao título da Copa da África são as campeãs e sempre favoritas seleções de Brasil, Itália, Alemanha, Argentina, França e Inglaterra e a surpresa, 2ª colocada atualmente no ranking da FIFA e atual campeã europeia, Espanha.
A polêmica convocação do técnico Dunga deixou de fora alguns jogadores da preferência popular e outros de preferência da imprensa. O treinador bateu o pé e levou o grupo que estava fechado com ele durante seu período à frente da seleção. O principal trunfo brasileiro na luta pelo sexto título é Kaká. A experiência do jogador campeão em 2002 será fundamental para os canarinhos.

A atual campeã mundial chega à África jogando um futebol feio - como sempre - e com um grupo bem renovado e uma das camisas mais fortes do mundo. Os destaques da Itália são os veteranos Buffon, Cannavaro e Camoranesi, da Juventus, e Gattuso, do Milan.
A Alemanha sente a falta de Michael Ballack, que se contundiu às vésperas do mundial. Será uma baixa importante que poderá atrapalhar os planos dos germânicos. Na busca pelo tetra os campeões de 1954, 1974 e 1990 contam com Lahm, Mertesacker, Schweinsteiger e o matador Klose, além do brasileiro naturalizado alemão Cacau.
Os maiores rivais dos brasileiros chegam à África após uma passagem conturbada pelas eliminatórias da América do Sul. A Argentina, comandada por Diego Maradona, sofreu até a última rodada para conseguir assegurar uma das vagas para o mundial. Maradona deixou de fora da Copa seu desafeto Riquelme e também surpreendeu ao não convocar o veterano Zanetti e Cambiasso, ambos da Inter de Milão.

Apesar de ter a camisa menos vitoriosa e tradicional das candidatas ao título a seleção espanhola vem jogando um futebol bonito e envolvente e conta com o talento dos atacantes Fernando Torres, do Liverpool da Inglaterra, e David Villa, recentemente contratado pelo Barcelona, e a segurança de Puyol na defesa.

A França conseguiu classificar-se à África graças a um polêmico gol na repescagem, contra a Irlanda. Thierry Henry dominou a bola com a mão e fez o passe para seu companheiro Gallas marcar o gol salvador. Os franceses contam com muitos jogadores experientes para tentarem o bi. Além de Henry e Gallas, os “bleus” levaram para a África Abidal, Evra, Ribéry, Malouda e Anelka. Sem dúvida é uma seleção forte e também favorita ao título.
A Inglaterra conseguiu uma tranquila classificação para o mundial. Os destaques do “English Team” são Wayne Rooney, John Terry, Frank Lampard, Joe Cole e Steven Gerrard.

Correndo por fora estão as seleções de Portugal, Holanda e Uruguai. Os lusos, para chegarem à final da Copa, contam com o talento e os dribles de Cristiano Ronaldo, a segurança de Ricardo Carvalho na defesa e a criatividade brasileira de Deco no meio-campo. Com o armador, Liédson e Pepe formam o grupo verde e amarelo a serviço de Portugal na África do Sul. Os holandeses tentam chegar à terceira final (foram finalistas em 1974 e 1978). Os destaques da Laranja Mecânica são Wesley Sneijder, Mark van Bommel, Rafael van der Vaart, Robin van Persie e Arjen Robben. O Uruguai tenta alcançar a velha glória, mas conta com um time que não inspira muita confiança aos seus torcedores. Os campeões de 1930 e 1950 tiveram sua última boa participação em uma copa no longínquo ano de 1970. Os destaques dos celestes são Diego Lugano, Jorge Fucile, Sebastián Abreu e Diego Forlán.

A anfitriã África do Sul conta, além do treinador brasileiro Carlos Alberto Parreira, com as ensurdecedoras cornetas de seus torcedores e elas serão aliadas a seu bom time na luta para passar da primeira fase. As outras seleções africanas têm destaques individuais. A Costa do Marfim conta com Drogba, a Nigéria com o veterano Kanu, Gana com Muntari e Camarões com Samuel Eto’o.

O equilíbrio das equipes fará com que a África do Sul sedie umas das copas mais disputadas.

 

 


 
 
« veja matérias sobre o Rio de Janeiro, Esportes, Turismo, Saúde entre outros temas.
 
 
 
 
© Correio Carioca   -   Expediente   -   Política de Privacidade   -   Anuncie   -  Fale Conosco