Jornal Com Distribuição Mensal nas Zonas Norte (Tijuca - Vila Isabel - Grajaú - Andaraí) e Sul (Botafogo - Urca - Humaitá) do Rio de Janeiro
 
 home / página incial
 siga o correio carioca no twitter
 correio carioca no facebook
 
Mas Eu Me Mordo de Ciúme

Se a criança sente ciúmes dos pais pois é incapaz de viver sem seu auxílio, há quem diga que nesse caso, ele é um mecanismo adaptativo. Mas e como ficam os adultos? A menos que mantenham a insegurança num nível infantil, não teriam porque ter esse tipo de sentimento, certo? Errado. Quem nunca sentiu seu gosto azedo ainda que burro velho? Confuso, egoísta, contraditório, complexo, presente entre irmãos, nas relações no trabalho ou amorosa. Palavra de complicada tradução, às vezes mais fácil, ainda que difícil, de ser sentida. Se algumas teorias o propõem como uma emoção imatura, outras dizem que é uma expressão normal, sem traço de imaturidade ou neurose. Na verdade, ele pode ser revelado como um tempero da relação ou o seu veneno, o que não quer dizer necessariamente patológico. Vivemos num mundo incerto onde confiamos nos nossos sentidos para recolher informações e o medo de perder a ilusão de ser único na vida de alguém ou de ser substituído é que mascara a realidade dando novas cores e significados aos acontecimentos para os ciumentos.

Normalmente esse é seu lado negro, mas, além desse tem o lado adaptativo que funciona como adubo para a relação. É um combustível para os parceiros que não tem a ver com posse mas com amor. É quando a dor nos alerta para uma ameaça verdadeira, quando a indiferença sexual não é um problema fora da relação, quando reunimos sinais e nos sentimos abandonados.

Pode-se chamá-lo por vários nomes: baixa auto-estima, imaturidade, insegurança. Fato que são poucos  que conseguem ignorá-lo. Mas mesmo que não seja esquecido, é possível dominá-lo ao deixar de sofrer por aquilo que não se tem o controle. É importante se valorizar e aprender a confiar em si. E a reciproca é verdadeira: é importante valorizar e confiar no outro. Tendo isso na cabeça, é só correr pro abraço.

Estamos abrindo um espaco para esclarecermos suas dúvidas. Caso tenha alguma, mande um email para consultoriodepsicologia@gmail.com e aguarde a publicação. Seu nome será mantido em sigilo.

 

 



/>                                

 

 
 
« veja outras receitas da culinária brasileira e mundial
 
 
 
 
© Correio Carioca   -   Expediente   -   Política de Privacidade   -   Anuncie   -  Fale Conosco